Marketing Online

Dinamizando o comércio Local – Marketing Comunitário

Marketing Comunitu00e1rio u2013 Nu00e3o u00e9 por acaso a existu00eancia de associau00e7u00f5es, grupos, cooperativas, etc. A uniu00e3o de diversas entidades em torno de um objectivo comum permite obter vantagens significativas. Mesmo quando nu00e3o existe formalmente, a agregau00e7u00e3o em torno de ideias, objectivos permite obter significativas vantagens relativamente ao u201ccada um por siu201d.

Nu00e3o se trata de criar uma comunidade gigantesca, mas antes permitir a existu00eancia de pequenas comunidades locais, grupos de fornecedores de serviu00e7os que trabalhando em conjunto conseguem mais valias para todos.

u00c9 nosso objectivo disponibilizar ferramentas digitais que permitam gerir/controlar esta cooperau00e7u00e3o entre os membros da comunidade, de forma a que interferindo o mu00ednimo possu00edvel nos processos de negu00f3cio normais, consiga de uma forma transparente uma dinamizau00e7u00e3o significativa do comu00e9rcio local com particular enfase no mercado turu00edstico.

u00a0

O objectivo final u00e9 conseguir levar o turista que nos visita a conhecer tudo o que pode usufruir numa determinada localidade (comunidade local).

u00a0

Normalmente, o turista u00e9 cliente de uma u00fanica compra. Com tanta oferta, e limitado tempo de fu00e9rias, o objectivo dele u00e9 diversificar experiu00eancias, pelo que raramente repete um serviu00e7o, atu00e9 porque pretendendo conhecer a regiu00e3o, dificilmente haveru00e1 oportunidade de estar no mesmo local em dias distintos, e mesmo que tal aconteu00e7a, tentaru00e1 experimentar serviu00e7o similar, em vez de repetir. u00a0Por exemplo, em termos de alimentau00e7u00e3o, muito raramente um turista frequenta um restaurante mais de uma vez durante as fu00e9rias.

O que significa que todo o esforu00e7o feito para conseguir o cliente u2013 publicidade, parceria com agu00eancias, etc. teru00e1 de ser rentabilizado naquela compra u00fanica. u00a0O cliente, ao sair u00e0 porta ju00e1 nu00e3o traru00e1 mais valias, u00e9 como se deixasse de existir para aquele comerciante. O turista, ao sau00edr u00e0 porta estu00e1 dependente de si pru00f3prio para descobrir o que mais u00a0fazer na localidade, ou depender de entidades que os encaminhem com custos associados.

u00a0

u00a0A comunidade local que resulta do nosso projecto, permite que:

– O turista conheu00e7a a oferta de serviu00e7os existente na localidade, possa planear antecipadamente o que fazer e quando, saiba como chegar atu00e9 os fornecedores de serviu00e7os, sem ter de recorrer a entidades externas de apoio, o que reduz o custo das suas fu00e9rias.

– O turista chegaru00e1 ao comerciante sem que este tenha de fazer algo, ao comercianteu00a0 basta-lhe pertencer u00e0 comunidade local e apresentar os seus serviu00e7os no site.

– Apu00f3s venda, o cliente que vimos deixava de ter valor para o comerciante, tal muda radicalmente. Ao apresentar ao cliente, lista de sugestu00f5es de serviu00e7os alternativos na localidade, estu00e1 a ajudar o turista a conhecer e decidir o que fazer em seguida, torna-se assim um u201cguiau201d, o turista sentir-se-u00e1 muito mais acompanhado, teru00e1 acesso a informau00e7u00e3o que nu00e3o teria de outro modo e conseguiru00e1 aproveitar melhor as suas fu00e9rias.

Ou seja, apu00f3s venda, ao cliente u00e9 sugerida uma lista de comerciantes alternativos na zona, com serviu00e7os complementares, u00a0o cliente, ao u00a0aceitar algumas das u00a0sugestu00f5es apresentadas, o comerciante que lhas sugeriu tem direito a uma comissu00e3o sobre as vendas geradas.

Ou seja, o cliente que antes nu00e3o era mais rentu00e1vel, agora passa a ser rentu00e1vel, mesmo apu00f3s ir-se embora.

Beneficiaram os negu00f3cios sugeridos, pois venderam, e o comerciante que os indicou tambu00e9m ganhou com isso.

Todos ficaram a ganhar.

u00a0

O turista que nos visita tem um tempo muito limitado, para tudo o que gostaria de fazer. u00c9 essencial que exista uma forma de o informar de tudo o que tem disponu00edvel, por forma a que rapidamente possa ir escolhendo coisas a fazer e possa organizar um roteiro das suas fu00e9rias. A publicau00e7u00e3o de anu00fancios com oferta de serviu00e7os existente na comunidade local disponibiliza ao visitante essa informau00e7u00e3o. Ferramentas adicionais por nu00f3s fornecidas disponibilizam uma agenda/roteiro das fu00e9rias ao visitante.

u00a0

Cada comerciante na comunidade pode publicar anu00fancios daquilo que tem para oferecer ao visitante. Pode criar uma lista de sugestu00f5es u00e0 sua escolha, pode ser uma forma de sugerir outros serviu00e7os que disponibiliza, ou beneficiar amigos ou parceiros de negu00f3cio. Tal recomendau00e7u00e3o u00e9 feita via link personalizado do site que leva o cliente a essa lista de sugestu00f5es, ou fornecimento de um cu00f3digo de acesso a usar no site.

O objectivo u00e9 garantir que, se o visitante ainda nu00e3o conhece o site, passe a conhecu00ea-lo, o use, trazendo vendas acrescidas para os elementos da comunidade local.

O turista tendo acesso ao site, ao se deslocar para outra localidade, existindo uma comunidade local lu00e1, ao comprar continuaru00e1 a dar lucro ao comerciante que lhe indicou o link de acesso ao site. Portando, aquele cliente que ju00e1 nu00e3o seria mais rentu00e1vel, continuaru00e1 a gerar lucros durante o tempo total das suas fu00e9rias. Em alguns casos o ganho pode ser muito superior ao obtido com a venda inicial. Logo o projecto pode ser bastante rentu00e1vel u00a0a quem o promove junto dos visitantes.

Beneficiaram tambu00e9m todos aqueles que conseguiram vendas resultantes da divulgau00e7u00e3o.

Beneficiou o visitante pois teve acesso a informau00e7u00e3o u00fatil e ferramentas de organizau00e7u00e3o das fu00e9rias.

Basta alguns elementos da comunidade empenhados em divulga-la para que todos beneficiem.

O turista su00f3 poderu00e1 ir aos locais que lhe sejam dados a conhecer, negu00f3cios novos, ou em localizau00e7u00e3o menos acessu00edvel, passam a ter uma ferramenta de divulgau00e7u00e3o, evitando ter de pagar a entidades externas para os promover junto do turista. Podendo estar em pu00e9 de igualdade com aqueles que su00e3o os grandes, u00a0com capacidade u00a0e meios de divulgau00e7u00e3o, parecendo ao turista que su00f3 eles existem, ficando cada vez maiores e nu00e3o dando oportunidade aos novos de aparecer.

u00a0

Em resmo, o que propomos u00e9 uma nova forma de ver o turista, nu00e3o centrada em nu00f3s, em conseguir aquela venda u00fanica, mas centrada na comunidade, permitindo que por via da disponibilizau00e7u00e3o ao turista de um guia informativo de tudo o que lhe estu00e1 disponu00edvel numa localidade, poder escolher, organizar e planear melhor as suas fu00e9rias. O turista vai comprar nos comerciantes anunciados, havendo aumento de vendas para eles e ganhos para os divulgadores da comunidade junto do turista.

u00a0

Toda a venda resulta de um investimento em termos de publicidade, qualquer que seja a forma desta. Um negu00f3cio pode investir numa localizau00e7u00e3o previligeada para maximizar visibilidade, isso u00e9 um custo publicitu00e1rio, pode pagar a entidades externas por publicidade, ou comissu00f5es por vendas. Existe sempre um custo associado a cada venda, ainda que seja de difu00edcil quantificau00e7u00e3o.

Existe tambu00e9m um custo para pertencer e beneficiar da nossa proposta, um custo que u00e9 o comerciante que define (quanto estu00e1 disposto a pagar pelo cliente), mas este u00e9 um custo controlado, su00f3 existiru00e1 apu00f3s ter conseguido venda, outros canais de publicidade exigem investimento, sem se saber se daru00e3o resultado.

Alu00e9m disso, a filosofia do marketing comunitu00e1rio u00e9 que a quase totalidade dos valores pagos pela obtenu00e7u00e3o da venda sejam distribuu00eddos de volta aos participantes na venda, ou seja, quem recomendou a venda, quem recomendou ao comerciante aderir u00e0 comunidade, e ao cliente com incentivo a adquirir dentro da comunidade. Cerca de 90% do valor pago pela obtenu00e7u00e3o da venda u00e9 devolvido u00e0 comunidade. Um comerciante pagaru00e1 algo por uma venda obtida, mas poderu00e1 depois receber de vu00e1rios comerciantes que conseguiram vendas porque ele apresentou o site ao seu cliente.

u00a0

Pretende-se na pru00e1tica que, um turista chegado a regiu00e3o, num espau00e7o de tempo tu00e3o curto quanto possu00edvel venha a ter conhecimento do site. Um elemento da comunidade apresenta-lhe o site, onde ele poderu00e1 poupar. Tem de existir algo que convenu00e7a o turista a comprar dentro da comunidade, daremos assim um pequeno incentivo ao cliente sob a forma de cru00e9ditos, que poderu00e1 usar mais tarde numa compra a um outro comerciante. Funcionaru00e1 como um cartu00e3o de fidelizau00e7u00e3o. Em cada compra ganha algo, que recuperaru00e1 comprando novamente dentro da comunidade de comerciantes.

O turista tem no site uma ferramenta de apoio que lhe permite ir escolhendo anu00fancios do interesse dele, e organizu00e1-los segundo prioridade de interesses u2013 uma agenda/roteiro das fu00e9rias.

Damos ainda ao turista oportunidade de divulgar site junto de outros turistas, o objectivo u00e9 conseguir mu00e1xima divulgau00e7u00e3o dos comerciantes na comunidade, e consequentemente assim maximizar as suas u00a0vendas.

Facebook Comments